Sítio Arqueológico do castelo



O Sítio Arqueológico do Castelo, situa-se na Freguesia de Arranhó, no topo de uma escarpa rochosa, a uma altitude de 283 metros, por cima da estrada de Arruda e sobranceiro à povoação do Paço. Trata-se de um dos locais mais antigos e com vestígios de civilização até agora conhecido e escavado, no concelho de Arruda dos Vinhos.

Descoberto em 1987 por Joaquim Gonçalves, habitante de Sobral de Monte Agraço, o Sítio Arqueológico do Castelo, foi alvo de campanhas de escavações arqueológicas desde 1988 a 1993, pelos Arqueólogos da Assembleia Distrital de Lisboa, João Ludgero Gonçalves e Guilherme Cardoso. É um dos mais importantes vestígios de “povoados fortificados” da região da Bacia Hidrográfica do Tejo, a par do sítio arqueológico da Pedra de Ouro (Alenquer) e o Castro do Zambujal (Torres Vedras).

Apresenta vestígios de ocupação de vários períodos, supondo-se que a última ocupação tenha acontecido no período das Invasões Francesas, uma vez que coincide com o Reducto do Paço (Obra Militar n.º 12), pertencente ao 2.º Distrito da 1.ª linha de defesa das Linhas de Torres.

Nas diversas campanhas arqueológicas foram descobertos artefactos datados do Calcolítico, uma torre semi-circular da Idade do Cobre, “construída com grandes pedras e que fará parte de um complexo de muralhas de um povoado fortificado”1, que servia de protecção do ponto mais alto deste planalto, e alguns artefactos datados do período Romano, estes em menor quantidade.

 

Materiais Encontrados: 
“Idade do Cobre - Ponta de seta e lamela em sílex; uma conta de colar em rocha verde; fragmento de alfinete de cabelo em osso; vários fragmentos de taças, vasos e potes de cerâmica, alguns decorados; pesos de tear; dois punções2 de cobre.
Idade do Ferro/ Romano - Diversos recipientes de cerâmica de armazenamento e transporte de líquidos, tijelas e pratos; conta de colar em cerâmica; cossoiros3 ; dois pesos de tear; alfinete de cabelo em bronze; duas fíbulas4 de bronze, datadas desde o século III a.C. ao século I d.C.; uma pequena faca em ferro; três “Denários romanos”5 datados do século I a.C.”6


Fíbula de Bronze - Século II a.C. a Século I d.C.
Denário Romano - Século I a.C
Punção de Cobre


1 - Gonçalves, João Ludgero Marques; “O Sítio Arqueológico do Castelo (Arruda dos Vinhos) – Escavações de 1988 a 1993)”; in: Revista de Arqueologia: Assembleia Distrital de Lisboa, n.º 3; Lisboa; 1997.
2 - Instrumento ponteagudo que serve para furar ou gravar.
3 - Instrumento que faz parte de um fuso, usado para fiação de tecidos.
4 - Fivela ou Alfinete usado para segurar roupas.
5 - Moeda de prata utilizada no sistema financeiro do Império Romano.
6 - Gonçalves, João Ludgero Marques; “O Sítio Arqueológico do Castelo (Arruda dos Vinhos) – Escavações de 1988 a 1993)”; in: Revista de Arqueologia: Assembleia Distrital de Lisboa, n.º 3; Lisboa; 1997




Print Friendly and PDF

Contactos

Largo Miguel Bombarda

263 977 000

263 976 586

Newsletter


Subscreva a nossa newsletter

Back to Top

  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
© 2006 - 2018 © Município de Arruda dos Vinhos - Todos os Direitos Reservados